texto por: Guilherme Bayara | Imagen: Weheartit

20090722094902

Nada, o vazio

A falta do toque,

Ausência de sentimento, apenas ausência

Ausência da própria ausência

O nada

Aos poucos algo o corrompe

A escuridão preenche o nada

Ao longe surge algo

Devagar toma conta

E com um choque arrebatador

Sente-se a tristeza

Escuta-se um pequeno titilar

Lagrimas atingem o chão

Não são lagrimas.

Em meio às agonias

As agonias que gritam as tristezas

Não são lagrimas

São pétalas

Pétalas de

Uma branca flor

Que reluz e afasta

Afasta a escuridão.