texto por: Guilherme Bayara | Imagem por : weheartit

What’s your name?

Qual o seu nome?

É... acho que foi assim que começamos a conversar de verdade. Lembra da nossa 1ª conversa?

Bom, um pouco difícil de esquecer. Mas acho que não podemos chamar aquilo de conversa. É acho que aquele dia ainda não te conhecia, ainda não sabia teu nome, e minha mãe sempre me disse “Não converse com estranhos”. Aposto que a sal também, pois é... Acho melhor não chamarmos aquilo de conversa.

2842504141_5898f5a1fe

Mas isso me deixa pensando...

“Não converse com estranhos”, mas se não o fizer, como conhecerei alguém. Antes de te conhecer, obviamente, era apenas uma estranha. Mas com o tempo deixou de ser uma estranha. É ... Acho que nós é que invertemos a ordem dos fatos... Deveríamos ter nos apresentando antes... Mas isso já não faz mais diferença.

Hoje você já deixou de ser uma estranha, na verdade é o oposto. Se tornou alguém além de conhecida, se tornou parte de minha vida. Estranha? Não, éramos desconhecidos uns dos outros. Agora conhecemos um ao outro profundamente.

Sabe outra coisa que me intriga?

Como chegamos a este ponto e tão pouco tempo. Ta certo que se você for observar passamos um bom tempo juntos, mas mesmo assim o espaço foi pequeno para suportar tal crescimento.

É...

Encontrei a estranha mais conhecida de minha vida. Encontrei mais uma grande amiga. Encontrei a doçura, mesmo que as vezes carrancuda (sorry XD).

Encontrei uma nova e gigantesca amizade.

E descobri que a frase de minha estava errada...   

Não...

Afinal, elas sempre acertam...

O que se quer dizer está correto, apenas mal dito.

O correto é “ Não converse com pessoas estranhas”

Pois uma pessoa estranha, jamais deixará de ser estranha.

Já um estranho, alguém desconhecido, pode-se tornar um grande amigo!

Your name is friend!

“Não interessa! PARABÉNS! Digo mesmo, repito e faço farra! Feliz Aniversário a você estranha, aquela que desconhecia, conheci e não largo mais! Te amo muito! A você querida estranha Jennifer!”