Texto: Guilherme Bayara | Imagem: We heart it

SONY DSC

Acabou...

Ambos desistimos de lutar, ou de nos mutilar. Ainda não estou certo.

Ainda sinto falta, meu coração ainda dói, as lágrimas ainda escorrem. Minha mente sussurra “acabou...”, meu coração recua, finge não ouvir. Minha mente me diz: “Acabou”, meu coração se encolhe. Minha mente grita “ACABOU”, meu coração para.

Acabou, eu sei. Mas não posso deixar de ouvir tua voz, não posso apagar teu nome, não posso perder o contato. Tuas ligações ainda me deixam feliz, mesmo que elas sejam insuportáveis em certos dias. Quando estamos ambos bem, elas são um deleite.

Acabou, mas não consigo me distanciar, me desprender, te esquecer. Acabou, eu sei que acabou e talvez seja melhor assim, eu aceito.

Sim, eu aceito, mesmo que pesarosamente. Eu aceito.

Mas não entendo... Não entendo este simples detalhe...

Se acabou, porque ainda dizemos “eu te amo” antes de desligar o telefone?