Texto: Guilherme Bayara | Imagem: We heart it

books-cdf137dd04d95b8aab9face1e5965b8c_h_large

A noite das palavras...

Do livros...

Os sonhos ganham vida

Ficção e realidade misturados...

Vento forte, batendo, forçando, os livros se abrem, os sonhos escapam, os segredos se revelam, tudo espalhado pelo chão, se levantando ao som das badaladas da meia noite. A palavras ganham vida, dançam pela cidade, gritam a sua janela, batem a sua porta, se deitam em sua cama...

A loucura parece tomar conta de seu corpo, sua mente, seus músculos parecem se contrair... Você não sabe se Romeu realmente grita teu nome ou se é a TV, um sonho. O vento continua mudando as páginas, mudando o curso das histórias que se misturam na praça central. Você corre do assassino, de repente se vê no mercado, no cinema, no motel. As páginas parecem holofotes, iluminam o céu na madrugada escura, seu conteúdo salta com toda a força para fora...

A ruas parecem assustadoras, encantadoras, nojentas, tristes, depende de quais livros foram parar ali. Você continua correndo sem se mover, gritando sem voz, se acalmando de forma veloz, em poucos segundos tudo muda de lugar, de rosto, de humor. Beco sem saída, o livros bloqueiam a passagem. Mãos ao alto!

Você acorda, guarda o livro, olha para a taça de vinho e resmunga: “Nunca mais bebo e leio antes de dormir” e cai no sono. No dia seguinte, antes de ir para a cama, enche a taça e retira o marcador de páginas...